CHAMADAS

PÁTRIA ARMADA

retratos de um Brasil distópico

Aumento da desigualdade. Violência policial. Negacionismo. Extremismo religioso. 500 mil mortos. Não é preciso olhar para o futuro nem para mundos imaginados para falar sobre distopia no Brasil. Assim, a Acaso, em sua primeira coletânea, convida autores a mostrarem os retratos desse Brasil distópico em que hoje vivemos.​

trey-gibson-lPlrlBNbY-I-unsplash.jpg

PRAZO: 01/09

formato: conto

4500 palavras

publicação impressa

tema

Em janeiro do ano passado alcançamos 100 anos da morte de George Orwell, vivendo em um país para o qual distopia já não é sinônimo de ficção. Não sabíamos, contudo, que poderia piorar, e muito. Hoje, mais de meio milhão de mortes depois, diante de escândalos que vão de negligência a corrupção, vivemos na mais absurda das realidades. O verde e amarelo da bandeira de que tanto se orgulham foram manchados da lama dos desastres ecológicos, da cinza das queimadas, do vermelho da brutalidade policial. E, hoje, vestem o negro do luto.
Bilionários enriquecem enquanto o país retorna ao mapa da fome. Cogita-se dar restos de comida aos pobres. Muitos voltaram a cozinhar com fogão de lenha. O emprego é escasso, as condições, ultrajantes. E enquanto o mercado informal se disfarça de empreendedorismo, a luta desesperada pela sobrevivência ganha ares de exemplo de força de vontade a ser seguido. As grandes empresas se colorem de inclusividade enquanto apoiam a precarização dos direitos trabalhistas. Triunfa o antiintelectualismo. O negacionismo. O fundamentalismo. O preconceito.
Diante desse Brasil distópico, a Acaso Cultural abre chamada para sua primeira coletânea de contos, Pátria armada: retratos de um Brasil distópico, centrada não na imaginação de uma distopia que possa vir a ser, mas na distopia que já somos. Aceitamos, assim, narrativas que abordem nossos sinais de fascismo, extremismo religioso, violência do Estado, preconceito, aumento da desigualdade e colapso ambiental, entre outros.

Inscrição
e participação

  • As inscrições são GRATUITAS, iniciam-se no dia 01/07/2021 e vão até o dia 01/09/2021.

  • Serão selecionados até 25 contos para integrar a antologia. A Acaso se reserva o direito de incluir autores convidados.

  • Cada autor poderá participar com um conto.

  • Para submeter seu conto, o autor deverá preencher o formulário de inscrição.

  • Cada conto deverá ter até 4500 palavras.

  • O arquivo deverá ser enviado em formato word (.docx), com fonte Times New Roman 12, espaçamento 1,5 e sem nenhuma identificação de autoria no texto.

seleção e resultado

  • Após o envio, o texto será analisado por uma comissão designada pela organização da antologia. Dessa forma, atenderá a critérios não apenas estéticos, mas aos interesses da editora para o projeto. Não ser selecionado não implica necessariamente em um julgamento negativo de nossa parte.

  • Sendo aprovado, o autor receberá da editora o contrato para publicação, do qual constarão informações como acesso aos direitos autorais, com instruções de preenchimento e devolução desse contrato. A participação do autor só estará confirmada após a assinatura do contrato.

  • Todos os textos aprovados passarão por processo de revisão, seguindo a linha editorial determinada pela Acaso Cultural.

  • Os autores selecionados serão publicados gratuitamente, sem qualquer custo de edição.

  • Será impressa uma tiragem mínima da coletânea, da qual cada autor receberá um exemplar. Além disso, a Acaso Cultural se reserva o direito de realizar uma campanha de financiamento coletivo para garantir uma maior tiragem, com características adicionais (capa dura, ilustrações, fitilho, entre outros). 

  • Os autores não terão qualquer obrigação de participarem do financiamento coletivo, caso ele aconteça, mas será de grande importância a sua participação na divulgação.

  • Será facultada aos autores a aquisição de exemplares, que serão disponibilizados pela editora a preço promocional. O valor do frete não estará incluído neste preço.

  • A lista de contos selecionados será divulgada a partir do dia 01 de outubro de 2021 nas redes da Acaso Cultural.

Inscrição
e participação

  • Todos os contos devem ser originais e inéditos, entendendo-se por inéditos textos que não tenham sido anteriormente publicados em qualquer obra com registro no ISBN ou ISSN.

  • Os autores deverão ser maiores de 18 anos.

  • Não serão aceitos contos que:

(a) possam causar danos a terceiros, seja através de difamação, injúria ou calúnia, danos materiais e/ou danos morais;
(b) contenham conteúdo pejorativo, discriminatório ou ofensivo de qualquer forma, ou que incitem ódio ou preconceito de qualquer tipo. 
(c) tenham sido produzidos por terceiros;
(d) não venham formatados nas normas estabelecidas por esse regulamento.

 

Quer preparar melhor seu texto antes de enviar? Que tal participar do curso  de escrita criativa da Acaso?

escrevendo o que te realiza

Oficina de criação literária com a escritora da Cia. das Letras e doutora em literatura, Simone Campos. Aprenda técnicas, desenvolva sua escrita e publique seu primeiro texto pela Acaso Cultural.

88174044_10214564595823175_7183076169674

16/07-06/08

Sextas-feiras

19h30 - 21h

Zoom